Quem somos

Minha foto
JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS, Brazil
Esperamos com este Blog dividir um pouco das inúmeras histórias que acumulamos na nossa profissão. São relatos engraçados, tristes, surpreendentes...

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Abate clandestino flagrado em Coronel Pacheco


Por Michele Pacheco

O serviço de inteligência do IMA, Instituto Mineiro de Agropecuária, recebeu a denúncia de que numa fazenda de Coronel Pacheco, no limite do município com Juiz de Fora era praticado abate clandestino.  
O destino da carne seria açougues da cidade vizinha.

Os fiscais foram ao local acompanhados de policiais militares e fiscais da prefeitura de Juiz de Fora. 
Quando chegaram, dois animais tinham acabado de morrer. 
As carcaças estavam no chão do curral, sem qualquer cuidado com higiene. 
As patas foram amarradas com cordas depois que os bichos levaram uma pancada na testa.

Para isso, foi usada uma machadinha. 
Ela tem o cabo longo. 
Na hora do abate, o responsável usa a parte contrária à lâmina, para não cortar e estragar o couro. 
A pancada forte insensibiliza o animal, que fica vivo, mas imóvel enquanto é feita a sangria.

Os couros depois de retirados são presos com pedaços de madeira para se manter  esticados enquanto secam.  
Segundo o veterinário do IMA, Luciano Puga, o índice de animais abatidos no país é medido pela quantidade de couro que chega às indústrias que trabalham com esse produto.

Enquanto gravávamos as imagens e entrevistas, uma cena chamou nossa atenção. 
Vários cães foram chegando, atraídos pelo cheiro de sangue e de carne fresca. 
Sem qualquer cerimônia, eles iam comendo lasquinhas de carne e pele, aumentando o risco de contaminação do alimento.

O Luciano comentou que o mais grave nesse tipo de abate é a falta de controle sanitário dos animais abatidos. 
Se eles tinham alguma doença, a fiscalização poderia ter descoberto antes do abate. 
Depois, é impossível. 
Problemas como raiva e outras doenças infecciosas não deixam sinal na carne.

O dono da fazenda não tinha aparecido enquanto nós estávamos lá. 
Segundo os ficais, ele pode ser multado, autuado e sofrer outras punições. 
As duas carcaças foram destruídas no Aterro Sanitário de Juiz de Fora.





segunda-feira, 26 de novembro de 2012

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Assalto em agência do Santander no centro de Juiz de Fora

Por Michele Pacheco

O centro de Juiz de Fora ficou movimentado no final da manhã.
Uma denúncia de assalto na agência do Banco Santander na Avenida Rio Branco, entre as ruas Floriano Peixoto e São Sebastião mobilizou equipes da 3a Companhia de Missões Especiais e da 30a Companhia.

Quando chegaram, os pms descobriram que os bandidos já tinham fugido.
Uma vítima contou que chegava ao banco para sacar cem reais, quando foi rendida por um homem na porta e alertada para ficar calada durante o assalto, se não quisesse morrer.
Outras duas pessoas também foram feitas reféns junto com o jardineiro de 50 anos.

Depois de usar um maçarico paco num dos caixas eletrônicos, os ladrões recolheram o dinheiro bem debaixo de uma câmera de segurança.
Eles fizeram a limpa, colocaram o dinheiro em sacos, avisaram às vítimas para não se mexer nem chamar ninguém até que eles tivessem sumido de vista.
Aí, fa kombi branca estacionada em frente à agência.

A Polícia Militar recebeu informações de que um dos homens seria estrangeiro, talvez colombiano.
Eles fugiram pela avenida Rio Branco.
Como as rotas de fuga são muitas, as polícias militar, civil, rodoviária federal de toda a região foram alertadas sobre o assalto.
Uma Operação de Cerco e Bloqueio foi montada nas principais saídas de Juiz de Fora.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Acidente com dois caminhões na BR 267 dentro de Juiz de Fora

Por Michele Pacheco

A Br 267 ficou interditada no fim da manhã de hoje, no trecho do bairro Retiro, em Juiz de Fora.
Dois caminhões bateram de frente na entrada de uma ponte estreita, que só permite a passagem de um veículo por vez.
O motorista do caminhão que já estava em cima da ponte disse que chovia na hora do acidente.

Ele contou que estava quase no fim da ponte, quando viu o caminhão tanque vindo no sentido contrário e não conseguindo parar antes da batida.
Não houve feridos, mas o susto foi grande.
Se a batida fosse mais para o meio da ponte, provavelmente um dos veículos teria quebrado a mureta de proteção e caído no rio ou ficado pendurado.

O transtorno maior foi para quem mora ou passa pelo trecho.
Veículos pesados só têm aquela rota para seguir para Matias Barbosa e pegar a BR 040.
Eles são proibidos de subir a serra do bairro Santo Antônio.
Assim, muitos motoristas ficaram parados nas margens da rodovia à espera de liberação para passar.

Os passageiros dos coletivos também tiveram que descer à pé.
Com sacolas e crianças no colo eles reclamavam da falta de providências definitivas no trecho sempre problemático.
A empresa de ônibus colocou alguns carros para fazer baldeação, mas ainda assim o transtorno e os atrasos irritaram a população.

domingo, 11 de novembro de 2012

Adolescentes apreendidos com armas em ônibus

Por Michele Pacheco

Eu e o Robson voltávamos de viagem ontem à noite, quando notamos um movimento de policiais num posto de gasolina da Av. Presidente Itamar Franco.
Paramos achando que era uma briga, mas descobrimos que os pms agiram antes que isso ocorresse.
Eles receberam denúncia de adolescentes armados dentro do coletivo.

A primeira abordagem foi feita no bairro Mariano Procópio.
Assim que viram os policiais, os suspeitos jogaram as duas armas na linha férrea.
Os pms da Rotam procuraram e encontraram a garrucha e o revólver.
O armamento foi apreendido e os 4 menores de 18 anos também.

Eles são do bairro Jardim Cachoeira e a suspeita é de que estavam a caminho de algum encontro de gangues para brigar.
Essa versão é reforçada pelo fato de que um adolescente do Parque das Águas, loteamento vizinho ao Jardim Cachoeira foi morto a tiros no mês passado e o crime ainda não foi vingado.

sábado, 10 de novembro de 2012

Chuva causa acidente na BR 267 em Bicas

Por Michele Pacheco

Dois irmãos de São João Nepomuceno levaram um susto e tanto hoje.
Eles seguiam para o Sul de Minas.
Ao passar pela pista de acesso ao viaduto da BR 267, o caminhão em que viajavam derrapou numa mancha de óleo e seguiu sem controle.

O veículo derrubou parte da proteção de concreto do viaduto.
A cabine ficou para cima, o eixo da frente acabou preso na mureta e o restante ficou pendurado.
Por sorte, o motorista e o irmão dele conseguiram sair sem ferimentos.
Mas, o risco que enfrentaram deixou os dois com as pernas bambas.

Chovia na hora do acidente e a mistura de óleo no asfalto e água em excesso é muito perigosa.
Em alguns trechos da rodovia, a gente observou que há acúmulo de água na pista e no acostamento.
O trânsito intenso naquele trecho da BR 267, com um número elevado de veículos pesados torna a situação ainda mais complicada toda vez que chove.

No início desta semana, o tempo ruim causou estragos na zona norte de Juiz de Fora.
Nos bairros Jardim Natal e Francisco Bernardino, o córrego Humaitá transbordou e invadiu várias casas.
Os moradores passaram a manhã toda limpando a lama que restou da enxurrada da madrugada.

Em algumas ruas, eles tiveram ajuda de uma equipe do Demlurb, Departamento de Limpeza Urbana.
Com um caminhão tanque e uma mangueira, eles lavaram a lama acumulada nas ruas e facilitaram o acesso às moradias mais prejudicadas.
Um carpinteiro largou as ferramentas de trabalho e assumiu o comando da enxada para abrir caminho até o quintal dele, completamente alagado.

No Bairro Francisco Bernardino, as famílias prejudicadas pela enchente tiveram que deixar as casas.
A orientação foi da Defesa Civil.
O risco de mais chuva no início da semana colocava todas elas em perigo.
As expressões eram de tristeza por ter perdido tanta coisa e ainda precisar abandonar o resto.